terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Linguagem e Ideologia

O livro de José Luiz Fiorin, Linguagem e Ideologia (1998),Editora Ática, traz na introdução e nos capítulos iniciais a definição que é dada para linguagem e sua relação com a sociedade. Para os línguistas ela se comporta como uma instituição social, possuindo também seu caráter ideológico.
Marx e Engels em a ideologia alemã trazem algumas dicas a respeito desse questionamento e definem a linguagem por uma complexidade, podendo ser estudada por vários pontos de vista. Eles vêem também a linguagem como conseqüência de formação social e que possui sua autonomia devendo ser analisada não apenas pelo seu caráter ideológico.
No que diz respeito à língua, deve-se prestar atenção às distinções que lhe são atribuídas, é um sistema (conjunto de elementos) social e organizado que necessita de regras para o funcionamento comum a todos os falantes. A sua realização se concretiza por dois fatores: o discurso e a fala; o discurso confere aos elementos que exprimem o pensamento, deve ser estruturado, isto é, direto; indireto; indireto-direto, considerado um modelo sintático e semanticamente, a fala do narrador e do personagem, a palavra.
Há também o campo da manipulação consciente referente à sintaxe discursiva e o campo da determinação inconsciente, a semântica discursiva, podendo ainda o discurso dizer a mesma coisa de maneira distinta. A fala é nessa perspectiva a exteriorização do discurso, é individual, o eu quem se expressa; ela não se altera por determinação social.
Ideologia é apresentada através da definição de Marx a respeito do trabalho e se caracteriza pela construção de ideias na formação social, isto é, a construção do homem acontece por meio do trabalho. Nessa perspectiva, a ideologia pode ser concebida como um conjunto de idéias e representações destinadas a justificar e explicar a ordem social, é considerada uma falsa consciência, pode ser compreendida como uma visão de mundo, é determinada por um conjunto de fatores, não sendo estritamente econômico.
Há as exposições de ideias de Marx, Engles, Bakhtin, entre outros que trazem suas definições para a linguagem e ideologia e exposição de textos diversos que o autor descreve para discorrer sobre tema.
Portanto, a linguagem é fruto da participação social que caracteriza uma formação ideológica, podendo ou não ser influenciada por determinada ideologia. Dessa forma o homem produz o discurso que mesmo sendo individual sofre interferências de fatores sociais, é no discurso que o falante manifesta sua ideologia, por isso, devem ser feitas análises e compreensão, consequentemente uma reflexão para a determinação dos elementos que compõem a linguagem.

Por: Cristielle

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário